• Grey Instagram Icon
  • Grey Pinterest Icon
  • Grey Facebook Icon
© Copyright Alentejo Villas 2017

A Casa dos Pássaros está localizada no coração do Alto Alentejo, na vila histórica do Crato. A vila, desde o início do século XIII sede de priorado da Ordem dos Hospitalários em Portugal e, duas centúrias mais tarde, também da Ordem de Malta que lhe sucedeu, situa-se a duas horas de distância de Lisboa e a poucos quilómetros da fronteira espanhola.

Ao longo de mais de dois anos, a casa foi objecto de um minucioso restauro que lhe restituiu a sua distinta e bela altivez, ao mesmo tempo oferecendo àqueles que a habitam um modo de vida simples e descontraído, absolutamente moderno.

Reinterpretando a decoração tradicional das casas senhoriais portuguesas – na pintura decorativa, estuque, cerâmica e têxteis ornamentais –, Marisa alia à sua criatividade a simplicidade e, ao mesmo tempo, o refinamento da arte de receber “alentejana”. Um lugar único para descobrir, em família ou entre amigos, uma das mais belas regiões de Portugal, palpitante de vida e de autenticidade, a que os conhecedores chamam a Toscana portuguesa.

ALUGAR A CASA DOS PÁSSAROS

Mínimo de 3 noites

1 A 8 PESSOAS

380 € por noite

Serviços Incluídos

Piscina

Wi-Fi

Barbecue

Cozinha equipada

TV

Serviços Opcionais

Refeição

Motorista

Cozinheiro

Táxi aeroporto

Cursos

Limpeza (2h/dia)

Como as outras casas do centro histórico da vila, a fachada da Casa dos Pássaros é dominada pelas cores branca e ocre, e pela cantaria em granito.

O brasão da família de Marisa, esculpido em mármore, orna a parte de cima da porta de entrada, enquanto uma cruz de Malta entalhada num lintel de granito, descoberto durante as obras de renovação da fachada, se mostra agora bem visível.

Fachada

Entrada

Uma vez franqueada a porta principal, o visitante é acolhido por uma escada de aparato típica da arquitectura barroca portuguesa, com a sua ornamentação de estuques ritmando curvas e volutas, um estilo decorativo trazido para o país no século XVIII pelo estucador e ornamentista Giovanni Grossi.

Um bordado de seda sobre linho de Castelo Branco, realizado segundo um desenho original do século XVIII e “recolorido” por Marisa, orna a parede esquerda, à maneira das tapeçarias que decoravam as casas dessa época.

O tecto de quatro panos (ou abas) guarnecidos de estuques, dito de masseira, bem como toda a entrada, foram pintados com um esponjado de terra de sombra queimada, especialmente escolhido por Marisa para o efeito.

A seguir, o visitante entra na divisão que dá nome à Casa dos Pássaros. Para este hall, que distribui os compartimentos do primeiro piso, Marisa concebeu uma decoração em que pintura mural e técnica da verdadeira découpage se aliam de forma a transmitir a paz e a tranquilidade de um pátio de jardim barroco, com as molduras e ornamentos em estuque tão característicos dos jardins nobres do Alentejo.

Na parte superior das paredes deste hall, revela-se em fresco, por entre árvores e plantas várias, uma miríade de pássaros e outros pequenos animais, transportando para o interior da casa a vida e as sensações despertadas pela natureza, segundo o gosto das decorações a fresco da segunda metade do século XVIII, em especial nas casas de campo dos arredores de Lisboa.

Hall superior

Lavatório

Uma vez chegado ao piso nobre da casa, o visitante encontra à sua direita um pequeno lavatório decorado por Marisa com mosaico. Um mosaico especial, feito de medalhões em vidro, decorados, segundo a técnica da verdadeira découpage, com as imagens dos reis de Portugal – tiradas das gravuras de Melchior –, intercalados com cabuchões em faiança com a cruz de Malta, num piscar de olho ao passado prestigioso da vila do Crato.


O mosaico está colocado sobre uma parede pintada a esponja com verde de cromo

Sobre a esquerda deste pátio, abre-se ao visitante a sala de jantar.
Os estuques que ornamentam as paredes, bem como as portas esculpidas, são originais.
O tecto de quatro abas guarnecido de estuques trata-se de uma recriação, ao sabor dos tectos que nas casas senhoriais portuguesas tradicionalmente coroam a entrada, a sala de jantar e a sala de estar.

As cores vibrantes desta divisão exaltam os sentidos, evocando os prazeres da boa mesa, próprios de uma sala de visitas exclusivamente destinada ao momento da refeição.

Sala de jantar

Sala de estar

O pátio dos pássaros abre-se ainda, por uma porta dupla, para a sala de estar, compartimento coberto por um grande tecto de masseira ornado de estuques que, num pequeno aceno à cultura francesa, retoma os ornamentos da chaminé de estilo Luís XVI.

Esta divisão de ambiente leve e fresco, em tons azuis e brancos, tem o seu prolongamento natural no terraço, com o qual liga, permitindo assim usufruir plenamente das noites doces e calmas do Verão alentejano, em que se pode saborear um copo de vinho da região ao mesmo tempo que se contempla o céu coberto de estrelas. 

Cozinha

Dando directamente para o terraço superior e a piscina, esta divisão conservou o estilo típico das cozinhas alentejanas, com o seu tecto pintado de ocre e as suas bancadas em mármore da região. Moderna e funcional, a cozinha encontra-se hoje totalmente equipada.

A ilha central serve para a preparação de alimentos, mas também como bancada de refeição, suficientemente ampla para sentar várias pessoas. 

Exterior

O espaço exterior foi concebido como um porto de abrigo, sombreado por canas e resguardado de olhares.

Através da piscina e das fontes dos terraços superior e inferior, a água, símbolo da vida, empresta ao espaço envolvente frescura e um suave murmúrio, em perfeita sintonia com o espírito dos jardins portugueses.

3 A 8 PESSOAS

380 € por noite